sexta-feira, 21 de agosto de 2015

ÊXTASE E MEDITAÇÃO

A cortina ainda estava fechada.
O espetáculo estava para começar.
Na espera, a orquestra executava melodias imortais.

Então... abre-se a cortina e tudo principia.

O maestro deixava transparecer o brilho da alma,
realizando movimentos ondulantes.

Os músicos, com uma expressão imponente.
Bailava, no ar, momentos de êxtase e meditação.

Na plateia, sentindo-se protagonista, escutava a canção que realizou em louvor a sua amada, não a tendo mais em seus braços.

A música transmitia uma profunda calma, mas o remorso machucava seus sentimentos.

 A mente produzia os devaneios do romance perdido.
O som de um prelúdio nostálgico,
era executado pelo “spalla” da orquestra.

Então, a imagem de seu amor distante tornou-se mais forte.

Fecharam-se as cortinas.
Ele aplaudiu o espetáculo.

O ambiente apurou o seu dom singular de cultivar o amor,
Mostrou-lhe sua capacidade de traduzir os sentimentos.

Levantou-se e rumou para lugares desconhecidos.
Partiu em busca da amada, cheio de criatividade lírica,
Levando uma paixão efervescente de torrentes emoções.

sábado, 15 de agosto de 2015

ESTRADA DO SOL





Os homens que têm em seu íntimo o espírito aventureiro sempre embarcaram em viagens pelo mundo afora, percorrendo caminhos tortuosos, buscando situações perigosas, com emoções, às vezes, fatídicas.

Em uma ocasião, assistindo a um programa em um canal televisivo sobre aventuras desse naipe, tomei conhecimento de uma caminhada que terminou em tragédia, com um dos participantes morrendo no meio da jornada.

Muito se tem falado sobre o Vale da Morte, local de caminhos estreitos, onde não há animais e pouquíssima vegetação. É nesse ambiente que pessoas de espíritos indômitos acabam morrendo, tentando uma travessia.

Indignado com a situação, imaginei o desenrolar do pensamento daquela pessoa enquanto caminhava por aquela trágica trilha desértica... Naqueles momentos de agonia, quando seu fim lhe parece iminente, sua mente despertará os sentimentos de sua alma? Terá se recolhido em estado de alerta? Sentirá medo? Pois o medo é a reação negativa ao ter que enfrentar alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto física como psicologicamente, levando a pessoa ao pavor, que é a ênfase do medo, provocando a descarga de adrenalina, aceleração cardíaca e tremor.

E senti-me inspirado a fazer...




“O RETRATO DE UM CAMINHO”

A aventura estava a sua espera.
Não importava o calor e as pedras no caminho.
Na estrada, silhuetas foscas.
Na alma, imagens distorcidas...

Ele é incansável na mente.
O corpo fatigado pedia descanso,
As pernas já não aguentavam.
Ansiedade para chegar...
Num canto, em algum lugar!

Mochila pesada no passo dobrado.
Estava trôpego e com falta de fôlego...
Deitou no chão, na areia escaldante.
Pediu aos céus ajuda e um milagre!

Veio o vento e varreu seus pensamentos.
O pó entupiu-lhe os olhos e o nariz.
A sede martelou sua garganta...

O arrependimento misturou-se com a aventura.
Naquele pobre local, uma desventura...
Sua vista embaraçou.
O sonho acabou.
No chão o corpo inerte...



quarta-feira, 12 de agosto de 2015

POEMAS E HISTÓRIAS...





O êxito de um escritor, tanto em prosa como em verso, está na felicidade da expressão verbal. Em alguns casos, pode se realizar por meio de uma fulguração repentina, ou ainda, de uma pesquisa intensa, implicando sempre na paciente procura de uma frase que se encaixe no contexto. Todos os elementos são conjugados de formas insubstituíveis, encontrando o “som das palavras” em seu pensamento e que os conceitos sejam os mais coerentes e eficazes.

POEMAS E SEUS FUNDAMENTOS

A função de uma flor é a de produzir sementes utilizando a reprodução sexuada. Para as plantas, as sementes representam a próxima geração e servem como principal meio através do qual as espécies se perpetuam e propagam.


SOL, FLORES E ÁGUAS

Rompe a madrugada.
Abre uma flor!
Som de pássaros.
Música no ar!
Vontade de viver.
Alegria contagiante.
O sol se aproxima!
Calor da manhã.
Sorte incessante!
Fonte cantante.

Sonhos presentes...
Águas cristalinas!
Soltura de amarras.
Entrada do esplendor!

Cultive o amor.
Com sol, cantos, flores e águas!
Na manhã que é infinita.


O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional, com o que seja capaz de receber este comportamento amoroso e enviar os estímulos sensoriais e psicológicos necessários para sua motivação e manutenção.

 SENTIMENTOS

As lágrimas brotaram violentas nos olhos.
Rolaram pela face em louvor das crenças mundanas.
Caíram no chão vazio sem vida e incrédulas.
Semearam incertezas e atitudes profanas.

A vontade de viver veio a galope.
Com soberba, espontânea e em pleno trote.
Escutou o clarim e o rufar dos tambores.
Despertou para a vida e novos amores.

Os marca-passos cardíacos devolvem vida normal para as pessoas, tanto na sua qualidade quanto na relação ao tempo de sobrevida, monitorando constantemente o ritmo dos batimentos, estimulando ininterruptamente o coração. Assim, na vida, de cada um...

O DESPERTAR

Passos incertos e sem compasso...
Arritmia galopante e incessante.
Coração desenfreado e disparado.
Tormentos angustiantes tornam duras as sensações...


Rastros deixados nas calçadas e jardins.
Jasmins com cheiro de alecrins.
Caminhos de flores que choram por uma vida.


Caminhar sofrido, cansado e combalido.
Carregando um corpo de sentimentos profundos.
Marca-passo no pulsar de uma alma.



O uso do espantalho como meio de afugentar aves é antigo e está presente em diversas culturas. Tem, contudo, o inconveniente de perder sua cultura e eficácia, pois as aves terminam por se habituarem a eles.


JOÃO E HORTÊNCIA


Dona Hortência abriu a janela e chamou o seu caseiro:
- João! Plante essas sementes no canteiro vazio.
- Mas não está estercado.
- Então remexa a terra, coloque adubo e semeie; quero ter alface viçosa para a salada do patrão.
Passada uma semana, foi ver se as sementes haviam germinado.
O que ela viu foi as pequenas mudas, todas ceifadas pela fome voraz dos pássaros.
- João! Veja o que aconteceu! Você não fez nada?
– Pois é, dona, se a gente não atrapalhar as aves, não vai ter o que comer.
- Coloque, então, no canteiro alguma coisa.
João fez um boneco, colocou uma cabeça de bola de pano  e, em cima da cabeça, chapéu de palha todo furado.
No dia seguinte, ela foi verificar o resultado.
Ficou espantada! O espantalho não espantou...



O ANDARILHO

Em um dia desses qualquer, o Prefeito de uma cidade grande parou o seu carro, por pouco tempo, em um cruzamento, aguardando o sinal de ...