domingo, 22 de novembro de 2015

O ANIVERSÁRIO DO VÔ TONINHO





Foi com muita satisfação que, no ultimo mês de março, completei mais um ano de vida. Desde os doze, estive sempre mergulhado em trabalho... Logo na flor da idade, ajudava no sustento da família, estimulado por meu pai.

Não me arrependo e louvo o seu esforço (que Deus o tenha em um bom lugar, junto de minha querida mãe).

Ambos, desde cedo, dirigiram a minha sorte na vida, para que, com um trabalho digno, se estabelecesse uma fonte de saber, proporcionando-me um encaminhamento para, no futuro, constituir uma família.

Cresci sob essa visão e não medi esforços laborativos para ajudá-los na desincumbência da missão. Hoje, vejo que, naquela época, criar filhos era muito penoso; obrigava-os a trabalharem arduamente para dar uma educação dentro do que era possível.

Comecei minha jornada de trabalho fazendo serviços corriqueiros, próprio de um menino, em escritórios comerciais, entregando livros a pé e, depois, com uma bicicleta, indo a bancos, cartórios e outros; o autêntico ‘menino de recados’ como se chamava naquela época. Depois veio o tal de ‘Office-boy’ que era tudo a mesma coisa.

Passado um ano, minha mãe arrumou, não sei como, um trabalho em uma indústria; mas para ingressar tinha que obter uma autorização de um Juiz da Comarca, porque, naquela ocasião, o menor de idade só poderia começar a trabalhar aos quatorze anos.
Fiquei nesse local por quatro anos e ali conheci a jovem Dijanira e começamos um namorinho. Na ocasião, eu era metido a escrever poesias e como gostava dela e não sabia como me aproximar, mandava bilhetinhos em forma de versos.

Nessa ocasião, meu pai me arrumou outro trabalho no mesmo local que o dele; e lá fui eu operar no Departamento de Pessoal. Fiquei pouco tempo, porque, já com mais idade, estava estabilizado com o namoro e pensava em me casar. Arrumei, então, um trabalho em uma empresa multinacional e casei-me. Lá, cresci profissionalmente, galgando postos gerenciais até a minha aposentadoria.

Posteriormente, virei consultor na área da gestão da qualidade, introduzindo as normas ISO-9001 e, depois, me especializei na auditoria para a certificação.

Durante a minha vida profissional, minha esposa também fez a parte dela, trabalhando dentro de sua profissão, ajudando a família crescer unida e preparando os filhos para o futuro.

Hoje, temos os filhos Alexandre e Erika que, cuidam dos netos queridos: o Lucas e o Augusto.

Neste mês, festejei o meu aniversário ao lado de toda a família, dando-nos a oportunidade de comemorar, com alegria, momentos felizes.

Deus permita que eu esteja presente por mais outros anos, para ver o crescimento dos meninos, podendo ainda, brincar de avô e neto.




ANOS DOURADOS DE UMA ÉPOCA VIVIDA

ANOS DOURADOS  DE UMA ÉPOCA VIVIDA Repassando algumas fotos e recortes de jornais, armazenados em uma caixa de papelão no meu...