sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Ruídos de Uma Longínqua Quietude


A meditação está sempre associada e construída em dois fortes pilares: a concentração e a contemplação. Tem sido praticada por algumas pessoas como uma religião, principalmente entre os orientais.

Há dados históricos comprovando que ela é tão antiga quanto à humanidade. Não sendo exatamente originária de um povo ou região, desenvolveu-se em várias culturas diferentes e recebeu vários nomes. Tornou-se mais evidente no Egito, Índia e entre o povo Maia.

É também praticada como um instrumento para o desenvolvimento pessoal em um contexto não religioso, como um simples relaxamento ou até a busca do Nirvana. Segundo algumas pessoas, melhora a concentração, consciência e a autodisciplina.

REVERENCIANDO O POR DO SOL

O sol neste momento está deixando o horizonte; embora agonizante para esta parte do mundo, ainda é forte, colorindo o céu em vermelho dourado, dando adeus aos encantos do planeta e às boas chegadas aos povos do outro lado do mundo, proporcionando com seus raios dourados, uma manhã repleta de emoções que seguirão o dia adiante.


Neste apogeu, percebo uma suave melodia de fundo, amoldada nas conchas dos meus ouvidos, macia e aveludada, acariciando-os, uma vez que foram torpedeados durante o dia, com os burburinhos caóticos da cidade grande.


É um momento de paz, uma sensação inebriante que se apodera do meu ser e corta o pensamento que estava repleto de ansiedades e torturas do rufar das inquietudes, imperando agora um silêncio envolvente e soberano.


Desses mágicos e sublimes momentos, o acalanto segue divino em sua trilha de nostalgia, proporcionando à mente o descanso merecido, onde posso escutar os ruídos de uma longínqua quietude!


 Acesse minha página para ver textos formatados:
http://sergrasan.com/toninhovendraminislides/

O ANDARILHO

Em um dia desses qualquer, o Prefeito de uma cidade grande parou o seu carro, por pouco tempo, em um cruzamento, aguardando o sinal de ...