sábado, 22 de dezembro de 2012

NAPULE MIA




NÁPOLES (em Italiano NÁPOLI) é uma comuna do Sul da Itália, da região da Campania, com cerca de um milhão de habitantes, sendo a terceira mais populosa, após Roma e Milão.

Localiza-se em uma baía no Mar Tirreno. É um porto importante e o principal centro industrial e comercial do país. É também um centro de turismo; em seus subúrbios estão localizados importantes centros de visitação, tais como: O vulcão Vesúvio, as ruínas de Pompéia e, Herculano e as ilhas de Capri e Ischia. O seu centro histórico foi declarado patrimônio mundial pela UNESCO.

Quando em uma viagem até Nápoles, no porto onde aguardava um navio para a Ilha de Capri, conheci um velho napolitano que regressava à sua terra natal, após muitos anos de morada em outro país.

Contou-me de suas sensações, alegrias e tristezas, vivenciadas ao longo de sua vida e também suas emoções desde o embarque em um avião que o trouxe até ali. Agradeceu emocionado com muita devoção à sua protetora, Santa Lucia, (uma das mais famosas da Itália).


 
 

 Olhou em direção ao mar, tendo ao fundo o Vesúvio, e cantou alguns trechos no dialeto:

Partono e bastimente – Partem os navios.

Pe’ terra assaje luntane... – Por terras muito distantes...

Cántano a buordo – Cantam a bordo.

Só’ Napulitane – São Napolitanos

Santa Lucia – Santa Lucia.

Luntano ‘a te – Longe de ti.

Quanta malincunia! – Quanta melancolia.

Luntano ‘a Napule – Longe de Nápoles.

Nun se po’ sta – Não se pode estar.

 

Sensibilizado com sua felicidade, construí o poema abaixo:
 

A CHEGADA


Chovia a cântaros no caminho de volta!

O pássaro de prata voava pelos céus sem fim.

Nuvens escuras nas alturas

Trovões... Coração acelerado!

Muitas emoções... Como foi longa essa ausência...
 

Aeroporto da saudade...

 Fiumicino...

Da Vinci di Roma...

Enxerguei velhos rostos conhecidos...

Cheios de lágrimas

Saudações efusivas no encontro.
 

La máquina me transporta

Passo por Pompéia vendo as belas paisagens napolitanas

Admirável entardecer.

Estrada florida de caminhos risonhos
 

Vou chegando...

Vesúvio...

Estigma de uma época

Que entrecortou o meu coração
 

Estava voltando...

Recordando uma bela canção.
 

ANOS DOURADOS DE UMA ÉPOCA VIVIDA

ANOS DOURADOS  DE UMA ÉPOCA VIVIDA Repassando algumas fotos e recortes de jornais, armazenados em uma caixa de papelão no meu...